Pular para o conteúdo principal

Carta de Elevação revela verdadeira nomenclatura: Maragogipe ou Maragojipe?

Por Zevaldo Sousa

Neste anos de história muita coisa aconteceu, mas vale ressaltar logo no início deste artigo que Maragogipe é muito mais antiga do que isso. Outroras era conhecida como Vila de São Bartolomeu de Maragogipe, e antes disso já existia moradores nesta terra que tudo dá. A vida é muito mais do que simples comemorações ditas políticas. Porque as escolhas são motivadas unicamente pelos interesses pessoais de alguns cidadãos. 

Mas mesmo fazendo um recorte político, vale ressaltar que quando falamos de emancipação política, estamos refletindo sobre decisões que podem ser tomadas num âmbito municipal, e está já acontecia bem antes da elevação do título de cidade. Ainda no tempo em que Maragogipe e diversas outras cidades eram vilas.

Na história cada conceito tem seu momento, e o conceito vila a alguns anos atrás tem o mesmo peso do conceito de cidade atual. Portanto, Osvaldo Sá não erra quando dá informações ao IPAC que revela-nos o seguinte trecho:
"Sua emancipação política foi obtida somente 85 anos depois [Depois de ter sido elevada a categoria de Freguesia, em 1640 após construção da Igreja da Matriz], após a Provisão Régia de 09 de fevereiro de 1725, ao atingir o status de vila, com a simples denominação de “Maragogipe”. Em virtude da avassaladora seca que devastava a Bahia no inicio do ano de 1724, o Conde de Sabugosa, 4º Vice-Rei à época, fez uma viagem de inspeção pelo interior do Estado da Bahia. Ao chegar a essa freguesia, seus habitantes solicitaram sua elevação à vila, no que foram atendidos pelo Conde. Por sua ordem, através de Portaria de 16 de fevereiro de 1724, é criada a “Vila de Maragogipe” (com território desmembrado de Jaguaripe), no dia 22 do mesmo mês e ano, pelo Ouvidor-Geral Pedro Gonçalves. Como prova de gratidão, os maragojipanos ofertaram ao Conde 2.000 alqueires de farinha de primeira qualidade para o sustento da tropa, dádiva aceita com muito apreço, devido á grande escassez existente. A Capitania do Paraguaçu foi comprada de seu 9º donatário, D. José da Costa, pelo Rei de Portugal, D. José I, através da Provisão Régia de 17 de junho de 1733, passando, então, a pertencer à Coroa portuguesa, por força da Carta do Conselho Ultramarino, de 12 de dezembro de 1732. O Recôncavo Baiano foi a região pioneira no movimento emancipador do país, de onde partiram os primeiros levantes de revolta contra a opressão lusitana instalada na colônia."
Erramos portanto quando colocamos na prática uma idéia falsa que é refletida com pensamentos do presente, sem o conhecimento do que aconteceu realmente no passado. Pois saiba que quando Maragogipe foi elevada a categoria de vila, sendo a 11ª da Bahia, esta tinha o mesmo peso de uma cidade, assim como as outras, inclusive Cachoeira e Jaguaripe.

Isso não indica que a comemoração seja inválida. Se temos algo comemorar, que comemoremos, mas saibamos passar a notícia correta aos nossos jovens. Se o 8 de maio de 1850 é a data mais importante para os interesses atuais, que coloquemos em faixas que foi a data da elevação de Maragogipe, com "G" ao título de cidade. Somente. Abaixo o documento que trata sobre esta questão.

Comentários

Top 5 da Semana

Exercícios de História Antiga: Roma (Ensino Médio)

Sabendo que grande parte dos professores e estudantes buscam pelas soluções dos seus problemas na Internet, resolvi postar neste espaço alguns exercícios retirados de provas de vestibulares. Vale ressaltar que será muito mais importante, o professor modificar os exercícios de acordo com o que foi ensinado na sala de aula. Afinal de contas, cabe ao professor ter o conhecimento da realidade da turma que leciona.
Veja também:
Exercícios de História Antiga: Grécia (Ensino Médio)Exercícios de História Moderna: Grandes Navegações (Ensino Médio)Exercícios de História da América Portuguesa e Espanhola (Ensino Médio)Questões DE ENEM e Vestibular 01. (UFAM – 2009) Tal como a história dos gregos, também a dos romanos começou pelo desenvolvimento de instituições políticas assentadas na cidade e elaboradas em benefício de uma comunidade de homens livres – os cidadãos – proprietários de terras e que reivindicavam a descendência direta dos fundadores de sua pátria. Em ambos os casos, estes cidadãos …

Exercícios de História Moderna - Grandes Navegações (Ensino Médio)

Sabendo que grande parte dos professores buscam pelas soluções dos seus problemas na Internet, resolvi colocar alguns exercícios neste Blog. Vale ressaltar que será muito mais importante, o professor modificar os exercícios de acordo com o que foi ensinado na sala de aula. Afinal de contas, cada um sabe qual é sua realidade.
Veja também:
Exercícios de História Antiga: Roma (Ensino Médio)Exercícios de História Antiga: Grécia (Ensino Médio)Exercícios de História da América Portuguesa e Espanhola (Ensino Médio)Questões DE ENEM e Vestibular 01. (UFAL) Ao contrário dos portugueses, que buscavam atingir as Índias contornando a costa africana, Colombo:
a) concentrou suas navegações na parte Leste, em busca de uma passagem Noroeste para as Índias. b) concentrou suas navegações na parte Norte da América, em busca de uma passagem ao Noroeste para o continente asiático; c) dirigiu-se para o Oeste em busca da passagem Sudeste para o continente asiático; d) Navegou pelo Oceano Atlântico em direção ao Can…

Exercícios de História Antiga - Grécia Clássica (Ensino Médio)

“Respeitemos mesmo as leis injustas para que os maus, tomando isso como exemplo, respeitem no futuro as leis justas, sem pretexto para desobedecê-las”. Sócrates
Sabendo que grande parte dos professores buscam pelas soluções dos seus problemas na Internet, resolvi colocar alguns exercícios neste Blog. Vale ressaltar que será muito mais importante, o professor modificar os exercícios de acordo com o que foi ensinado na sala de aula. Afinal de contas, cada um sabe qual é sua realidade.

Veja também:
Exercícios de História Antiga: Roma (Ensino Médio)Exercícios de História Moderna: Grandes Navegações (Ensino Médio)Exercícios de História da América Portuguesa e Espanhola (Ensino Médio)Questões DE ENEM e Vestibular 1. (FUVEST-SP) “Usamos a riqueza mais como uma oportunidade para agir que como um motivo de vanglória; entre nós não há vergonha na pobreza, mas a maior vergonha é não fazer o possível para evitá-la... olhamos o homem alheio às atividades públicas não como alguém que cuida apenas de seu…

Exercícios de História Medieval: Do Feudalismo à Crise do Século XIV (Ensino Médio)

Sabendo que grande parte dos professores e estudantes buscam pelas soluções dos seus problemas na Internet, resolvi postar neste espaço alguns exercícios retirados de provas de vestibulares. Vale ressaltar que será muito mais importante, o professor modificar os exercícios de acordo com o que foi ensinado na sala de aula. Afinal de contas, cabe ao professor ter o conhecimento da realidade da turma que leciona.
Veja também: Exercícios de História Antiga: Grécia (Ensino Médio)Exercícios de História Antiga: Roma (Ensino Médio)Exercícios de História Moderna: Grandes Navegações (Ensino Médio)
Questões de ENEM e Vestibular
Questão 01. (Fatec-SP) Uma das características a ser reconhecida no feudalismo europeu é:
a) A economia do feudo era dinâmica, estando voltada para o comércio dos feudos vizinhos. b) A sociedade feudal era semelhante ao sistema de castas. c) As relações de produção eram escravocratas. d) Os ideais de honra e fidelidade vieram das instituições dos hunos. e) Os servos estavam preso…

Plano de Curso de História - 1º Ano do Ensino Médio - 2012

PLANO DE CURSO
O atual plano de Curso serve de exemplo para os professores que desejam um modelo. Este plano, está dividido em 3 unidades, mas pode ser adaptado para 4 unidades. Os motivos desta divisão em três unidades está expresso na Regimento Escolar da Instituição de Ensino a qual pertenço.


Série: primeiro ano do ensino médio Disciplina: História Carga Horária: 80 horas Professor: Zevaldo Luiz Rodrigues de Sousa Ano de competência: 2012
I.Apresentação: Quando entendemos que a História é feita de versões e que um mesmo acontecimento pode ser contado de mil formas diferentes, entendemos que é preciso beber de várias fontes para fazer a diferença em qualquer área. O bom historiador deve agir como um detetive, juntando as mais diversas fontes para compor um fato histórico. Será preciso, portanto, fazer um esforço para que os alunos entendam que eles precisam ter consciência de que a História, matéria básica para o conhecimento humano, não é estática nem feita de verdades absolutas é essencia…