Pular para o conteúdo principal

Documentos comprometem prefeito Gabriel

"Nós não tínhamos conhecimento de que Gabriel (Raimundo Gabriel de Oliveira, prefeito de Maragogipe pelo PSC) usava a Matesc para cometer golpes contra a Universidade Católica de Salvador (Ucsal). Nós somos inocentes e fomos usados por ele, que abusou de nossa confiança". Foi assim que os irmãos Haroldo, Paulo e Francisco Castro Aragão reagiram ao verem o nome da empresa fundada pelo pai, Haroldo, aparecer no inquérito do Ministério Público Estadual (MP) que apura o desvio de R$ 36 milhões da universidade.

Da mesma forma que confessou ter executado o desvio, Gabriel, que foi gerente financeiro da Ucsal entre 1989 e 2000, em depoimento ao Ministério Público Estadual (MP), que apura a fraude a pedido da Ucsal, confirmou que usou a Matesc sem que os donos soubessem disso. O MP descobriu que oito empresas foram usadas no golpe contra a universidade. Destas, apenas a Matesc não era de propriedade de amigos e/ou parentes do ex-gerente financeiro.

Os sócios da Matesc conheceram Gabriel em meados da década de 80, quando ele ainda era funcionário do Baneb (Banco do Estado da Bahia, adquirido pelo Bradesco). Gabriel era gerente de divisão e relacionava-se com clientes de grande movimentação financeira - empresas e prefeituras - com o Estado. A Matesc participava de licitações, seu forte era material de escritório, mas chegou a fornecer até mesmo cruz para cemitérios.

Muitas vezes, os sócios da empresa precisavam compensar ou descontar cheques quando o expediente bancário já estava encerrado. Para isso, sempre contaram com o apoio de Gabriel. As relações se estreitaram no final de 1985, quando a Matesc sofreu um golpe do contador Carlos Alberto Telles Freire, que falsificou recibos de recolhimento de impostos estaduais no valor, da época, de Cr$ 3 bilhões. O contador foi condenado, preso, e a Matesc obrigada a restituir o valor ao Estado.

O fundador da empresa, Haroldo Castro Aragão, morreu pouco depois da "quebra", o que obrigou os três filhos a assumirem o negócio e organizar suas finanças. Por conta da amizade, contrataram Gabriel. Os valores pagos ao atual prefeito de Maragogipe eram considerados baixos e equivaliam a prestações do consórcio de um carro novo pagas por Gabriel.

EXEMPLO - A prestação de serviço era esporádica e prosseguiu até por volta de 1994. Sete anos antes, Gabriel entrou, como professor, para a Ucsal e chegou a usar a Matesc como exemplo em suas aulas de administração financeira. Em 1989, passou a exercer a gerência financeira da universidade. Em 1995, quando o Conselho de Auditoria da universidade estava desmontado, Gabriel, como provam documentos em poder do MP, passou a aplicar o golpe que, até 2000, resultou no desvio de R$ 36 milhões da instituição de ensino.

O golpe consistia em depositar cheques administrativos na conta de empresas que repassavam o dinheiro a Gabriel sem prestar qualquer serviço à Ucsal. Sem ter nenhuma empresa em seu nome ou de familiares e amigos, Gabriel usou a Matesc. "Já havia tempo que não falávamos com ele. Aí, em 95, do nada, Gabriel me ligou e perguntou se podia fazer um depósito na conta da Matesc para a empresa pagar depois. Baseado na confiança, autorizei", contou Haroldo Castro Aragão Júnior, um dos donos da empresa.

Na época, a empresa passava por dificuldades financeiras e se aproximava da falência. O dinheiro depositado por Gabriel (sempre quantias acima de R$ 100 mil) servia como capital de giro para a Matesc, uma vez que era devolvido aos poucos, em cheques ao portador (com o nome do beneficiário em branco) em valores menores pré-datados para 15, 20, 30 ou 40 dias. "A situação chegou a tal ponto que Gabriel passou a fazer os depósitos sem nos consultar e mandava empregados seus pegarem os valores no nosso escritório", completou Haroldo Júnior.

Não avisar sobre os depósitos foi um erro de Gabriel. Devido às dívidas, os bancos credores passaram a bloquear todo o dinheiro que era depositado na conta da Matesc. Sem poder reavê-lo, Gabriel fez um contrato com os donos da empresa, em que figurava como credor e sua primeira mulher, Maria José, a beneficiária dos pagamentos.

Fonte: A Tarde - Salvador, Flávio Oliveira
Retirado do site: Universia Brasil

Comentários

Top 5 da Semana

Exercícios de História Antiga: Roma (Ensino Médio)

Sabendo que grande parte dos professores e estudantes buscam pelas soluções dos seus problemas na Internet, resolvi postar neste espaço alguns exercícios retirados de provas de vestibulares. Vale ressaltar que será muito mais importante, o professor modificar os exercícios de acordo com o que foi ensinado na sala de aula. Afinal de contas, cabe ao professor ter o conhecimento da realidade da turma que leciona.
Veja também:
Exercícios de História Antiga: Grécia (Ensino Médio)Exercícios de História Moderna: Grandes Navegações (Ensino Médio)Exercícios de História da América Portuguesa e Espanhola (Ensino Médio)Questões DE ENEM e Vestibular 01. (UFAM – 2009) Tal como a história dos gregos, também a dos romanos começou pelo desenvolvimento de instituições políticas assentadas na cidade e elaboradas em benefício de uma comunidade de homens livres – os cidadãos – proprietários de terras e que reivindicavam a descendência direta dos fundadores de sua pátria. Em ambos os casos, estes cidadãos …

Exercícios de História Moderna - Grandes Navegações (Ensino Médio)

Sabendo que grande parte dos professores buscam pelas soluções dos seus problemas na Internet, resolvi colocar alguns exercícios neste Blog. Vale ressaltar que será muito mais importante, o professor modificar os exercícios de acordo com o que foi ensinado na sala de aula. Afinal de contas, cada um sabe qual é sua realidade.
Veja também:
Exercícios de História Antiga: Roma (Ensino Médio)Exercícios de História Antiga: Grécia (Ensino Médio)Exercícios de História da América Portuguesa e Espanhola (Ensino Médio)Questões DE ENEM e Vestibular 01. (UFAL) Ao contrário dos portugueses, que buscavam atingir as Índias contornando a costa africana, Colombo:
a) concentrou suas navegações na parte Leste, em busca de uma passagem Noroeste para as Índias. b) concentrou suas navegações na parte Norte da América, em busca de uma passagem ao Noroeste para o continente asiático; c) dirigiu-se para o Oeste em busca da passagem Sudeste para o continente asiático; d) Navegou pelo Oceano Atlântico em direção ao Can…

Exercícios de História Antiga - Grécia Clássica (Ensino Médio)

“Respeitemos mesmo as leis injustas para que os maus, tomando isso como exemplo, respeitem no futuro as leis justas, sem pretexto para desobedecê-las”. Sócrates
Sabendo que grande parte dos professores buscam pelas soluções dos seus problemas na Internet, resolvi colocar alguns exercícios neste Blog. Vale ressaltar que será muito mais importante, o professor modificar os exercícios de acordo com o que foi ensinado na sala de aula. Afinal de contas, cada um sabe qual é sua realidade.

Veja também:
Exercícios de História Antiga: Roma (Ensino Médio)Exercícios de História Moderna: Grandes Navegações (Ensino Médio)Exercícios de História da América Portuguesa e Espanhola (Ensino Médio)Questões DE ENEM e Vestibular 1. (FUVEST-SP) “Usamos a riqueza mais como uma oportunidade para agir que como um motivo de vanglória; entre nós não há vergonha na pobreza, mas a maior vergonha é não fazer o possível para evitá-la... olhamos o homem alheio às atividades públicas não como alguém que cuida apenas de seu…

Plano de Curso de História - 1º Ano do Ensino Médio - 2012

PLANO DE CURSO
O atual plano de Curso serve de exemplo para os professores que desejam um modelo. Este plano, está dividido em 3 unidades, mas pode ser adaptado para 4 unidades. Os motivos desta divisão em três unidades está expresso na Regimento Escolar da Instituição de Ensino a qual pertenço.


Série: primeiro ano do ensino médio Disciplina: História Carga Horária: 80 horas Professor: Zevaldo Luiz Rodrigues de Sousa Ano de competência: 2012
I.Apresentação: Quando entendemos que a História é feita de versões e que um mesmo acontecimento pode ser contado de mil formas diferentes, entendemos que é preciso beber de várias fontes para fazer a diferença em qualquer área. O bom historiador deve agir como um detetive, juntando as mais diversas fontes para compor um fato histórico. Será preciso, portanto, fazer um esforço para que os alunos entendam que eles precisam ter consciência de que a História, matéria básica para o conhecimento humano, não é estática nem feita de verdades absolutas é essencia…

Exercícios de História Medieval: Do Feudalismo à Crise do Século XIV (Ensino Médio)

Sabendo que grande parte dos professores e estudantes buscam pelas soluções dos seus problemas na Internet, resolvi postar neste espaço alguns exercícios retirados de provas de vestibulares. Vale ressaltar que será muito mais importante, o professor modificar os exercícios de acordo com o que foi ensinado na sala de aula. Afinal de contas, cabe ao professor ter o conhecimento da realidade da turma que leciona.
Veja também: Exercícios de História Antiga: Grécia (Ensino Médio)Exercícios de História Antiga: Roma (Ensino Médio)Exercícios de História Moderna: Grandes Navegações (Ensino Médio)
Questões de ENEM e Vestibular
Questão 01. (Fatec-SP) Uma das características a ser reconhecida no feudalismo europeu é:
a) A economia do feudo era dinâmica, estando voltada para o comércio dos feudos vizinhos. b) A sociedade feudal era semelhante ao sistema de castas. c) As relações de produção eram escravocratas. d) Os ideais de honra e fidelidade vieram das instituições dos hunos. e) Os servos estavam preso…