Pular para o conteúdo principal

Exercícios de História Antiga - Grécia Clássica (Ensino Médio)

“Respeitemos mesmo as leis injustas para que os maus, tomando isso como exemplo, respeitem no futuro as leis justas, sem pretexto para desobedecê-las”.
Sócrates

Sabendo que grande parte dos professores buscam pelas soluções dos seus problemas na Internet, resolvi colocar alguns exercícios neste Blog. Vale ressaltar que será muito mais importante, o professor modificar os exercícios de acordo com o que foi ensinado na sala de aula. Afinal de contas, cada um sabe qual é sua realidade.

Veja também:
Questões DE ENEM e Vestibular
1. (FUVEST-SP) “Usamos a riqueza mais como uma oportunidade para agir que como um motivo de vanglória; entre nós não há vergonha na pobreza, mas a maior vergonha é não fazer o possível para evitá-la... olhamos o homem alheio às atividades públicas não como alguém que cuida apenas de seus próprios interesses, mas como um inútil... decidimos as questões públicas por nós mesmos, ou pelo menos nos esforçamos por compreendê-las claramente, na crença de que não é o debate que é o empecilho à ação, e sim o fato de não se estar esclarecido pelo debate antes de chegar a honra da ação.
Esta passagem de um discurso de Péricles, reproduzido por Tucídides, expressa:

a) Os valores ético-políticos que caracterizam a democracia ateniense no período clássico.
b) Os valores éticos-militares que caracterizam a vida política espartana em toda a sua história.
c) A admiração pela frugalidade e pela pobreza que caracterizou Atenas durante a fase democrática.
d) O desprezo que a aristocracia espartana devotou ao luxo e à riqueza ao longo de toda a sua história.
e) Os valores éticos-políticos de todas as cidades gregas, independentemente de sua forma de governo.

2. (FGV-SP) “Representando pequeno número em relação às outras classes, eles estavam constantemente preparados para enfrentar quaisquer revoltas, daí a total dedicação à arte militar. A agricultura, o comércio e o artesanato eram considerados indignos para o (...), que desde cedo se dedicava às armas. Aos sete anos deixava a família, sendo educado pelo Estado que procurava fazer dele um bom guerreiro, ensinando-lhe a lutar, a manejar armas e a suportar as fadigas e a dor. Sua educação intelectual era bastante simples (...). Aos vinte anos o (...) entrava para o serviço militar, que só deixaria aos sessenta, passando a viver no acampamento, treinando constantemente para as coisas da guerra (...). Apesar de ser obrigatório o casamento após os trinta anos, sua função era simplesmente a de fornecer mais soldados para o Estado.”
A transcrição refere-se aos cidadãos que habitavam:

a) Atenas.
b) Creta. 
c) Esparta.
d) Chipre.
e) Roma.

3. (UFRS) Em relação à sociedade espartana, assinale a opção que NÃO CORRESPONDE à camada social dos hilotas.

a) Constituíam a massa de população vencida, subjugada e pertencente ao Estado.
b) Enquanto força-de-trabalho, eram expropriados pelos espartanos.
c) Cultivavam a terra com os seus instrumentos de trabalho, pagando uma renda fixa em espécie.
d) Como prevenção de revoltas e frente ao perigoso aumento demográfico que apresentavam, sofriam regularmente os “kriptios”, formas de repressão e extermínio realizados por jovens espartanos.
e) Desenvolviam atividades mercantis que lhes possibilitavam acumular pequenas fortunas com as quais compravam títulos de cidadania.

4. (UECE) A respeito da “Liga de Delos”, que seria a base do imperialismo ateniense, podemos dizer:

a) Decorreu da aliança de cidades gregas e persas contra a expansão macedônica.
b) Pretendia libertar algumas cidades gregas, lideradas pela cidade de Delos, da dominação espartana.
c) Surgiu de um processo de sujeição ou de domínio exercido por Atenas sobre as demais cidades da Liga.
d) Definia-se, de início, como uma aliança militar, que previa autonomia para seus participantes, reservando a Atenas o comando das operações.

5. (UnB-DF) A democracia está sempre na berlinda. Do mundo clássico ao contemporâneo, houve sempre quem não a julgasse ser o sistema ideal de governo. As tentações para subverte-las têm-se manifestado historicamente. Há, no entanto, um lastro de conquistas democráticas que se afirmou ao longo do tempo. Com relação à evolução da experiência democrática, julgue os itens a seguir, marcando V ou F.

(   ) O laconismo e a disciplina militar possibilitaram o desenvolvimento dos estudos filosóficos e humanistas no seio da sociedade espartana, o que permitiu criar condições para a emergência dos ideais democráticos na Grécia Antiga.
(  ) Os gregos antigos, ao servirem-se do trabalho escravo, contrariavam a lógica dos seus conceitos democráticos, uma vez que atribuíram à capacidade do fazer manual a condição maior para se bem governar os homens.
(  ) O modelo da democracia burguesa liberal ocidental, que nasceu das revoluções atlânticas e do iluminismo, ao se implantar em países com fortes valores capitalistas e industriais, acabou com todas as manifestações políticas que defendiam o nacionalismo e o socialismo.
(  ) A experiência democrática nos países do Cone Sul da América Latina no século XX é de pequena relevância, pois essa foi uma região que pouco vivenciou restrições às liberdades políticas e civis.

6. (Vunesp) Dentre os legados dos gregos da Antiguidade Clássica que se mantêm na vida contemporânea, podemos citar:

a) A concepção de democracia com a participação do voto universal.
b) A promoção do espírito de confraternização por intermédio do esporte e de jogos.
c) A idealização e a valorização do trabalho manual em todas suas dimensões.
d) Os valores artísticos como expressão do mundo religioso e cristão.
e) Os planejamentos urbanísticos segundo padrões das cidades-acrópoles.

7. (PUCC-SP) Analise o texto.
“Nossa constituição política não segue as leis de outras cidades, antes lhes serve de exemplo. Nosso governo se chama democracia, porque a administração serve aos interesses da maioria, e não de uma minoria. De acordo com nossas leis somos todos iguais no que se refere aos negócios privados. Quanto à participação na vida pública, porem, cada qual obtém a consideração de acordo com seus méritos e mais importante é o valor pessoal que a classe à qual se pertence; isto quer dizer que ninguém sente o obstáculo de sua pobreza ou da condição social inferior quando seu valor o capacite a prestar serviços à cidade.”
(Trecho de um discurso de Péricles. Em: Rubim Santos Leão de Aquino e outros,
História das Sociedades: das comunidades primitivas às sociedades medievais,
Rio de Janeiro, Ao Livro Técnico, 1980. p. 201)

Com base nos conhecimentos históricos, pode-se afirmar que a democracia ateniense, na Grécia antiga, à qual Péricles faz referência:

a) Refletiu a realidade social de toda a população da Grécia, que adquiriu direitos de igualdade e liberdade.
b) Garantiu às classes sociais o direito de propriedade da terra e aos trabalhadores os direitos trabalhistas.
c) Serviu de exemplo às cidades-estados da Grécia antiga, uma vez que estas estabeleceram o voto direto para a escolha dos seus governantes.
d) Estava em consonância com os ideais dos legisladores da República Romana, que criaram o sistema democrático para resolver os conflitos entre patrícios e plebeus.
e) Atendeu aos interesses das classes dominantes em Atenas ao garantir aos proprietários de terra e de escravos o direito de participar diretamente da vida política.

8. (Ufscar-SP) “Há muitas maravilhas, mas nenhum é tão maravilhosa quanto o homem.(...)
soube aprender sozinho a usar a fala
e o pensamento mais veloz que o vento
e as leis que disciplinam as cidades,
e a proteger-se das nevascas gélidas,
duras de suportar a céu aberto.”
(Sófocles. Antígona, Trad. Mário da Gama Kury.
Rio de Janeiro, Zahar, 1993, p. 210-1.)

O fragmento acima, apresentação do Coro de Antígona, drama trágico de autoria de Sófocles, manifesta uma perspectiva típica da época em que os gregos clássicos:

a) Enalteciam os deuses como centro do Universo e submetiam-se a impérios centralizados.
b) Criaram sistemas filosóficos complexos e opuseram-se a escravidão, combatendo-a.
c) Construíram monumentos, considerando a dimensão humana, e dividiram-se em cidades-estados.
d) Proibiram a representação dos deuses do Olimpo e entraram em guerra contra a cidade de Tróia.
e) Elaboraram obras de arte monumentais e evitaram as rivalidades e as guerras entre cidades.

9. (UFRN) O mundo grego antigo possuía certa unidade religiosa, embora fosse fragmentado politicamente. Essa religiosidade foi marcadamente:

a) De natureza cívica, na medida em que os cidadãos cultuavam os deuses da cidade, com celebrações festivas e sacrifícios, nos altares a eles dedicados.
b) Acessível a todas as classes sociais por ter carcaterística familiar e monoteísta, com um deus que se manifestava ao povo através de revelação direta e pessoal.
c) Portadora de uma ética que considerava sagrado o trabalho manual dedicado às divindades, o que permitia enfrentar a rigidez e a monotonia da vida cotidiana.
d) De caráter julgador, colocando os indivíduos a serviço das divindades e punindo os pecados daqueles que desobedeciam aos deuses ou professavam outro cultos.

10. (Oswaldo Cruz-SP) Entre muitos, três grandes filósofos se notabilizaram na Grécia Antiga: Aristóteles, Platão e Sócrates. Um deles defendeu a teoria de que através do conhecimento se chega a virtude. Notabilizou-se pelas expressões: “Só sei que nada sei” e “ Conhece a ti mesmo”. Outro, nos Diálogos, desenvolveu a sua “Teoria das idéias”, segundo a qual as coisas do mundo físico que se percebem pelos sentidos nada mais são do que cópias das idéias, modelos perfeitos e eternos que só podem ser percebidos pelo espírito; o outro, na sua Política, analisou qual seria a forma ideal de governo e as diversas constituições gregas. Considerando a ordem dos enunciados, tais princípios foram defendidos, respectivamente, por:

a) Aristóteles, Platão e Sócrates.
b) Sócrates, Platão e Aristóteles.
c) Aristóteles, Sócrates e Platão.
d) Platão, Sócrates e Aristóteles.


RESPOSTAS
1-A
2-C
3-E
4-D
5-F-F-F-F
6-B
7-E
8-C
9-A
10-B

Comentários

Top 5 da Semana

Exercícios de História Antiga: Roma (Ensino Médio)

Sabendo que grande parte dos professores e estudantes buscam pelas soluções dos seus problemas na Internet, resolvi postar neste espaço alguns exercícios retirados de provas de vestibulares. Vale ressaltar que será muito mais importante, o professor modificar os exercícios de acordo com o que foi ensinado na sala de aula. Afinal de contas, cabe ao professor ter o conhecimento da realidade da turma que leciona.
Veja também:
Exercícios de História Antiga: Grécia (Ensino Médio)Exercícios de História Moderna: Grandes Navegações (Ensino Médio)Exercícios de História da América Portuguesa e Espanhola (Ensino Médio)Questões DE ENEM e Vestibular 01. (UFAM – 2009) Tal como a história dos gregos, também a dos romanos começou pelo desenvolvimento de instituições políticas assentadas na cidade e elaboradas em benefício de uma comunidade de homens livres – os cidadãos – proprietários de terras e que reivindicavam a descendência direta dos fundadores de sua pátria. Em ambos os casos, estes cidadãos …

Exercícios de História Moderna - Grandes Navegações (Ensino Médio)

Sabendo que grande parte dos professores buscam pelas soluções dos seus problemas na Internet, resolvi colocar alguns exercícios neste Blog. Vale ressaltar que será muito mais importante, o professor modificar os exercícios de acordo com o que foi ensinado na sala de aula. Afinal de contas, cada um sabe qual é sua realidade.
Veja também:
Exercícios de História Antiga: Roma (Ensino Médio)Exercícios de História Antiga: Grécia (Ensino Médio)Exercícios de História da América Portuguesa e Espanhola (Ensino Médio)Questões DE ENEM e Vestibular 01. (UFAL) Ao contrário dos portugueses, que buscavam atingir as Índias contornando a costa africana, Colombo:
a) concentrou suas navegações na parte Leste, em busca de uma passagem Noroeste para as Índias. b) concentrou suas navegações na parte Norte da América, em busca de uma passagem ao Noroeste para o continente asiático; c) dirigiu-se para o Oeste em busca da passagem Sudeste para o continente asiático; d) Navegou pelo Oceano Atlântico em direção ao Can…

Exercícios de História Medieval: Do Feudalismo à Crise do Século XIV (Ensino Médio)

Sabendo que grande parte dos professores e estudantes buscam pelas soluções dos seus problemas na Internet, resolvi postar neste espaço alguns exercícios retirados de provas de vestibulares. Vale ressaltar que será muito mais importante, o professor modificar os exercícios de acordo com o que foi ensinado na sala de aula. Afinal de contas, cabe ao professor ter o conhecimento da realidade da turma que leciona.
Veja também: Exercícios de História Antiga: Grécia (Ensino Médio)Exercícios de História Antiga: Roma (Ensino Médio)Exercícios de História Moderna: Grandes Navegações (Ensino Médio)
Questões de ENEM e Vestibular
Questão 01. (Fatec-SP) Uma das características a ser reconhecida no feudalismo europeu é:
a) A economia do feudo era dinâmica, estando voltada para o comércio dos feudos vizinhos. b) A sociedade feudal era semelhante ao sistema de castas. c) As relações de produção eram escravocratas. d) Os ideais de honra e fidelidade vieram das instituições dos hunos. e) Os servos estavam preso…

Plano de Curso de História - 1º Ano do Ensino Médio - 2012

PLANO DE CURSO
O atual plano de Curso serve de exemplo para os professores que desejam um modelo. Este plano, está dividido em 3 unidades, mas pode ser adaptado para 4 unidades. Os motivos desta divisão em três unidades está expresso na Regimento Escolar da Instituição de Ensino a qual pertenço.


Série: primeiro ano do ensino médio Disciplina: História Carga Horária: 80 horas Professor: Zevaldo Luiz Rodrigues de Sousa Ano de competência: 2012
I.Apresentação: Quando entendemos que a História é feita de versões e que um mesmo acontecimento pode ser contado de mil formas diferentes, entendemos que é preciso beber de várias fontes para fazer a diferença em qualquer área. O bom historiador deve agir como um detetive, juntando as mais diversas fontes para compor um fato histórico. Será preciso, portanto, fazer um esforço para que os alunos entendam que eles precisam ter consciência de que a História, matéria básica para o conhecimento humano, não é estática nem feita de verdades absolutas é essencia…