Pular para o conteúdo principal

Cel. Alexandre Alves Peixoto e a construção da estrada de Maragogipe a São Felipe

Por: Fernanda Reis (leia texto completo em sua dissertação de mestrado clicando no título “A FESTA DO EXCELSO PADROEIRO DA CIDADE DAS PALMEIRAS”: O CULTO A SÃO BARTOLOMEU EM MARAGOGIPE (1851-1943) )
Coronel Antônio Felipe de Melo
A causa de nosso atraso repetimos, - são as estradas... se o cofre da municipalidade não se acha em condições de empreender tais consertos, deve recorrer a um empréstimo provincial. A presidência não se negará a tal empréstimo, visto sua applicação ser em proveito do engrandecimento da província. (CORONEL Antonio Felipe de Melo. O Prélio, Maragogipe, BA, Ano 1, n. 16, 29 ago. 1920. Não paginado. (redator-chefe e proprietário: Getulio Tourinho)

A citação de 1920 demonstra que a elite de Maragogipe entendia como necessária a construção de estradas como uma etapa indispensável para o progresso da cidade. Apesar dessa idéia ganhar impulso a partir da década de 1850, é evidente que esse avanço demorou para se constituir numa realidade como Maragogipe. Nesse sentido, localizamos quem foi o responsável por essa empreitada:

Uma bella idéa
O cel. Alexandre Alves Peixoto, recentemente empossado no cargo de Intendente de Maragogipe allimenta a louvabillíssima idéia de construir uma estrada de rodagem de Maragogipe á Conceição do Almeida, passando por Piedade, São Felipe, e Mombaça, com ramaes para Sapé e Palmeira. A empreza é de fôlego, e a sua realização vai custar grande soma de sacrifícios, de energia, de tenacidade, de boa vontade e de dinheiro. É pensamento do Cel. Peixoto realisar esta obra relativamente gigantesca. (UMA BELLA idéa. O Prélio. Maragogipe, BA, Ano 1, n. 16, 10 out. 1920. Não paginado.)

Abaixo seguem algumas imagens da construção da estrada de rodagem de Maragogipe a São Felipe. Podemos notar a grandiosidade das obras, a quantidade de pessoas trabalhando. Vemos imagens de aterros e construção de pontes sobre um rio.

Clique para aumentar
Conforme indica o título no topo da página do material em que foi obtida a foto: Município de Maragogipe: outros aspectos apanhados dos trabalhos da estrada de rodagem da cidade de Maragogipe a São Felipe, em construção na profícua administração do Coronel Alexandre Alves Peixoto, laborioso Prefeito Municipal. Lê-se nas legendas, por linha: “Um trecho da estrada de rodagem, vendo-se um grande aterro”; “Vista de uma ponte em construção, de alvenaria, sobre o rio Sinunga, da estrada de rodagem”; “Vista de uma outra ponte em construção de alvenaria, vendo-se um grande aterro da estrada de rodagem”; “Outro aspecto dos trabalhos da estrada de rodagem, desbancando a terra para aterrar”. Fonte: ÁLBUM DA BAHIA, [S.l.]: Edição Folgueira, 1930, p. 421.


Percebemos a presença do Intendente Alexandre Alves Peixoto, na fiscalização da construção da estrada. Afinal, foi o responsável por tal empreitada e era o maior interessado em que tudo terminasse bem. Provavelmente, sabia a credibilidade que isso daria à sua administração.



Conforme indica o título no topo da página do material em que foi obtida a foto: Município de Maragogipe: outros aspectos apanhados dos trabalhos da estrada de rodagem da cidade de Maragogipe a São Felipe, em construção na profícua administração do Coronel Alexandre Alves Peixoto, laborioso Prefeito Municipal. Lê-se nas legendas, por linha: “Vista de um trecho da Estrada de Rodagem, vendo-se, ao centro, o Coronel Alexandre Alves Peixoto, inspeccionando a obra, ladeado pelo engenheiro constructor e pelo secretário da Prefeitura”; Outro trecho da estrada de rodagem, vendo-se o Coronel Alexandre Alves Peixoto, Prefeito Municipal, em serviço de inspecção”. Fonte: ÁLBUM DA BAHIA, [S.l.]: Edição Folgueira, 1930, p.420.


Add caption

A melhoria do sistema de comunicação fez as notícias circularem mais rápido, rompendo o isolamento e a apatia em que viviam as cidades. E em Maragogipe, podemos considerar que o maior responsável por isso foi o intendente Alexandre Alves Peixoto.

Sobre o intendente Alexandre Alves Peixoto, sabemos que foi considerado por muitos como um grande empreendedor, iniciando trabalhos de abertura de estradas enfim, facilitou o acesso, tanto de mercadorias, quanto de pessoas, o que provocou uma outra dinâmica na cidade de Maragogipe, já que, até então, esses contatos só se davam via marítima. Devido a esse feito, ficou bastante respeitado na localidade, inclusive teve o seu nome intitulado em um mercado público municipal, imortalizando aí a sua imagem na cidade.


Conforme indica a página do material em que foi obtida a foto, trata-se: Município de Maragogipe e seu Governo Municipal. Lê-se na legenda:Coronel Alexandre Alves Peixoto, honrado Prefeito Municipal de Maragogipe, o restaurador das finanças minicipaes. Prestigioso chefe político do mesmo município e director das obras da estrada de rodagem de Maragogipe a São Felipe”. Fonte: ÁLBUM DA BAHIA, [S.l.]: Edição Folgueira, 1930, p. 418.



Essa fotografia complementa o que a citação acima já nos demonstra. Fica bem evidente a postura do intendente de Maragogipe: um homem altivo, perspicaz, audacioso e muito imponente. Residia em Maragogipe, numa casa que se localiza no centro da cidade, bem próximo à Câmara de vereadores. A quantidade de portas e janelas, nos deu a impressão de que era de fato a casa de um homem público, e que transmitia a idéia de acesso, disponibilidade, talvez. Como podemos ver na fotografia que segue:

Residência do coronel Alexandre Alves Peixoto,

abastado negociante e capitalista na cidade de Maragogipe.
Fonte: ÁLBUM DA BAHIA, [S.l.]: Edição Folgueira, 1930, p. 418.


Por: Fernanda Reis (leia texto completo em sua dissertação de mestrado clicando no título “A FESTA DO EXCELSO PADROEIRO DA CIDADE DAS PALMEIRAS”: O CULTO A SÃO BARTOLOMEU EM MARAGOGIPE (1851-1943) )

Comentários

Top 5 da Semana

Plano de Curso de História - 1º Ano do Ensino Médio - 2012

PLANO DE CURSO
O atual plano de Curso serve de exemplo para os professores que desejam um modelo. Este plano, está dividido em 3 unidades, mas pode ser adaptado para 4 unidades. Os motivos desta divisão em três unidades está expresso na Regimento Escolar da Instituição de Ensino a qual pertenço.


Série: primeiro ano do ensino médio Disciplina: História Carga Horária: 80 horas Professor: Zevaldo Luiz Rodrigues de Sousa Ano de competência: 2012
I.Apresentação: Quando entendemos que a História é feita de versões e que um mesmo acontecimento pode ser contado de mil formas diferentes, entendemos que é preciso beber de várias fontes para fazer a diferença em qualquer área. O bom historiador deve agir como um detetive, juntando as mais diversas fontes para compor um fato histórico. Será preciso, portanto, fazer um esforço para que os alunos entendam que eles precisam ter consciência de que a História, matéria básica para o conhecimento humano, não é estática nem feita de verdades absolutas é essencia…

O Terreiro Ilê Axé Alabaxé,– “"A Casa que Põe e Dispõe de Tudo"

É com muito pesar que noticiamos o falecimento do Babalorixá Edinho de Oxóssi, será muito justo neste momento, republicarmos a história do Terreiro lIê Axé Alabaxé,– “"A Casa que Põe e Dispõe de Tudo", um local com que o nosso babalorixá tem suas intimidades reveladas. Sabendo que seria do agrado de muitos maragogipanos que desejam conhecer a nossa história, resolvi publicar esse texto e uma entrevista concedida pelo Babalorixá Edinho de Oxóssi encontrada no site (http://alabaxe.xpg.uol.com.br/)
Oxóssi

A cada ano, após a colheita, o rei de Ijexá saudava a abundancia de alimentos com uma festa, oferecendo à população inhame, milho e côco. O rei comemorava com sua família e seus súditos só as feiticeiras não eram convidadas. Furiosas com a desconsideração enviaram à festa um pássaro gigante que pousou no teto do palácio, encobrindo-o e impedindo que a cerimônia fosse realizada.

O rei mandou chamar os melhores caçadores da cidade. O primeiro tinha vinte flechas. Ele lançou todas…

Plano de Curso de História - 2º ano do Ensino Médio - 2012

Plano de Curso
O atual plano de Curso serve de exemplo para os professores que desejam um modelo. Este plano, está dividido em 3 unidades, mas pode ser adaptado para 4 unidades. Os motivos desta divisão em três unidades está expresso na Regimento Escolar da Instituição de Ensino a qual pertenço.
Série: segundo ano do ensino médio Disciplina: História Carga Horária: 80 horas Professor: Zevaldo Luiz Rodrigues de Sousa Ano de competência: 2012
I.Apresentação: O conhecimento histórico é contínuo, e é através dele que podemos rever nossos conceitos e construir novas visões de mundo. O segundo ano do ensino médio serve para que o aluno comece a expor suas reflexões obtidas no primeiro ano de estudo de forma clara e construtiva, observando as ferramentas disponíveis para que sua interpretação esteja fundamentada. Neste momento, além de revisarmos os conteúdos da história européia, africana e americana, adentraremos com muito mais afinidade no mundo que estava se formando após o descobrimento da Améri…

Exercícios de História Antiga: Roma (Ensino Médio)

Sabendo que grande parte dos professores e estudantes buscam pelas soluções dos seus problemas na Internet, resolvi postar neste espaço alguns exercícios retirados de provas de vestibulares. Vale ressaltar que será muito mais importante, o professor modificar os exercícios de acordo com o que foi ensinado na sala de aula. Afinal de contas, cabe ao professor ter o conhecimento da realidade da turma que leciona.
Veja também:
Exercícios de História Antiga: Grécia (Ensino Médio)Exercícios de História Moderna: Grandes Navegações (Ensino Médio)Exercícios de História da América Portuguesa e Espanhola (Ensino Médio)Questões DE ENEM e Vestibular 01. (UFAM – 2009) Tal como a história dos gregos, também a dos romanos começou pelo desenvolvimento de instituições políticas assentadas na cidade e elaboradas em benefício de uma comunidade de homens livres – os cidadãos – proprietários de terras e que reivindicavam a descendência direta dos fundadores de sua pátria. Em ambos os casos, estes cidadãos …

Plano de Curso de História - 3º ano do Ensino Médio - 2012

Plano de Curso
O atual plano de Curso serve de exemplo para os professores que desejam um modelo. Este plano, está dividido em 3 unidades, mas pode ser adaptado para 4 unidades. Os motivos desta divisão em três unidades está expresso na Regimento Escolar da Instituição de Ensino a qual pertenço.

Série: terceiro ano do ensino médio Disciplina: História Carga Horária: 80 horas Professor: Zevaldo Luiz Rodrigues de Sousa Ano de competência: 2012
I.Apresentação: Ter uma visão holística da sociedade é se habilitar para o conhecimento, e é por esse motivo, que o estudo de história no terceiro ano do ensino médio, não deve se limitar apenas aos conteúdos de história contemporânea. Este programa visa revisar os conteúdos da história antiga, medieval e moderna, além de trazer discussões historiográficas, introduzindo os alunos nos estudos históricos de maneira atraente e instigante.
II.Objetivos:
Desenvolvimento de competências ligadas à leitura, análise, contextualização e interpretação das divers…