Pular para o conteúdo principal

Estudar História ajuda a compreender o homem e o mundo

Ana Cássia Maturano 
Especial para o G1, em São Paulo

Dia desses, acompanhei um aluno do ensino fundamental no estudo da disciplina de história. O tema era o Oriente Médio e havia muita dúvida acerca do mapa da região de Israel, Palestina, Faixa de Gaza, Jordânia e Cisjordânia.

O local, palco de constantes conflitos, sofreu muitas mudanças. O estudante, tendo em mente diferentes configurações do mapa, queria entender qual era o verdadeiro: o professor lhe apresentara um; o colega lhe mostrara outro.
O garoto, na angústia de entender o que se passava, esqueceu de usar uma ferramenta importante e simples em tal disciplina – a leitura do texto do referido assunto.
  • Juntos, realizamos a leitura do texto, como se lê um jornal ou revista. Observamos as figuras e as mudanças no mapa. Pois é, professor e colega estavam certos – o mapa apresentado por cada um referia-se a momentos históricos diferentes. Rapidamente sua dúvida foi sanada.
Observo, em vários estudantes, certa resistência ao estudo da história. Não compreendem bem a necessidade dela, sua serventia.
Muitas vezes, seu estudo se restringe a conhecer fatos, características, datas, nomes... Sem a devida compreensão dos acontecimentos, com suas conseqüências para o mundo e o homem. Este é o sentido de estudá-la. Ela é estudada não só por ser a nossa história, mas para ajudar a compreender o homem e o mundo de hoje, numa construção histórica, através do tempo.
Assim, estudá-la torna-se chato, enfadonho e uma mera ‘decoreba’ de datas, nomes, causas e conseqüências. E ponto. O método utilizado acaba sendo o de decorar, em que o aluno repete feito um papagaio todas essas informações sem que lhe faça sentido algum. Se ele se esquece de uma vírgula ou uma palavra, pronto, não se lembra de mais nada. Passada a prova, mal se recorda o que estudou.
Por vezes, iniciam o estudo já se empenhando em gravar as informações, sem nem terem compreensão do assunto. Como se esse fosse constituído de partes alheias entre si. Geralmente, um tema refere-se a um capítulo que é dividido em subtítulos. Mas que fazem parte de um todo.
O ideal é que antes de se afligir e ficar medindo o que terá que decorar (algo que deve ser abandonado), o aluno deve realizar uma leitura do texto como se estivesse lendo uma revista, por exemplo. Uma leitura simples, observando figuras e mapas, tentando apenas compreender aquilo que lê.
Se algo não for entendido, calma. A resposta pode estar mais adiante. Se ainda assim ficar a dúvida, releia o texto. Nem sempre da primeira vez compreendemos tudo.
Hoje, é muito comum o recurso da internet. Pode-se procurar a resposta e enriquecer o estudo com outras informações ou imagens. Por último, discutir o assunto com o colega ou professor é de grande utilidade.
Após a leitura, em que se compreende o tema, já se tem meio caminho andado. É interessante ter em mente a linha do tempo, com os principais acontecimentos – um influencia o outro. Nada acontece por acaso.
Fazendo isso, muito provavelmente o aluno terá realizado um bom estudo. Porém, dirão muitos, existem determinados pontos que parecem necessitar de certa memorização. A memória é fundamental em qualquer processo de aprendizagem.
Memorizar é uma coisa, decorar é outra. Quando se decora, não se pode perde nem a pontuação. A memória está atrelada a compreensão – a chance de que permaneça em nossa mente é maior. Por isso, após a leitura e compreensão do texto todo, aí sim ele pode ser trabalhado em partes.
Cada subtítulo deverá ser lido novamente e o aluno deverá reproduzi-lo oralmente, com suas próprias palavras, e depois verificar se não se esqueceu de nenhuma informação importante. Caso tenha esquecido algo, pode-se repetir o processo para então passar para outro tópico.
Para aqueles que estão prestando vestibular e tem muitas coisas para ver, o ideal é fazer uma boa leitura dos diferentes temas, considerando a linha do tempo e a relação entre eles. O volume que têm é maior – muito diferente de estudar para uma prova do colégio. Leiam e se deliciem com sua leitura. Como se fosse um romance.
O aprendizado da história é fundamental. As escolas precisam mostrar isso para seus alunos, assim como a relação do passado com o presente e futuro. Só assim ela será mais valorizada. E nada de cobrarem ‘decoreba’.
(Ana Cássia Maturano é psicóloga e psicopedagoga)

Comentários

Top 5 da Semana

Exercícios de História Antiga: Roma (Ensino Médio)

Sabendo que grande parte dos professores e estudantes buscam pelas soluções dos seus problemas na Internet, resolvi postar neste espaço alguns exercícios retirados de provas de vestibulares. Vale ressaltar que será muito mais importante, o professor modificar os exercícios de acordo com o que foi ensinado na sala de aula. Afinal de contas, cabe ao professor ter o conhecimento da realidade da turma que leciona.
Veja também:
Exercícios de História Antiga: Grécia (Ensino Médio)Exercícios de História Moderna: Grandes Navegações (Ensino Médio)Exercícios de História da América Portuguesa e Espanhola (Ensino Médio)Questões DE ENEM e Vestibular 01. (UFAM – 2009) Tal como a história dos gregos, também a dos romanos começou pelo desenvolvimento de instituições políticas assentadas na cidade e elaboradas em benefício de uma comunidade de homens livres – os cidadãos – proprietários de terras e que reivindicavam a descendência direta dos fundadores de sua pátria. Em ambos os casos, estes cidadãos …

Exercícios de História Moderna - Grandes Navegações (Ensino Médio)

Sabendo que grande parte dos professores buscam pelas soluções dos seus problemas na Internet, resolvi colocar alguns exercícios neste Blog. Vale ressaltar que será muito mais importante, o professor modificar os exercícios de acordo com o que foi ensinado na sala de aula. Afinal de contas, cada um sabe qual é sua realidade.
Veja também:
Exercícios de História Antiga: Roma (Ensino Médio)Exercícios de História Antiga: Grécia (Ensino Médio)Exercícios de História da América Portuguesa e Espanhola (Ensino Médio)Questões DE ENEM e Vestibular 01. (UFAL) Ao contrário dos portugueses, que buscavam atingir as Índias contornando a costa africana, Colombo:
a) concentrou suas navegações na parte Leste, em busca de uma passagem Noroeste para as Índias. b) concentrou suas navegações na parte Norte da América, em busca de uma passagem ao Noroeste para o continente asiático; c) dirigiu-se para o Oeste em busca da passagem Sudeste para o continente asiático; d) Navegou pelo Oceano Atlântico em direção ao Can…

Exercícios de História Antiga - Grécia Clássica (Ensino Médio)

“Respeitemos mesmo as leis injustas para que os maus, tomando isso como exemplo, respeitem no futuro as leis justas, sem pretexto para desobedecê-las”. Sócrates
Sabendo que grande parte dos professores buscam pelas soluções dos seus problemas na Internet, resolvi colocar alguns exercícios neste Blog. Vale ressaltar que será muito mais importante, o professor modificar os exercícios de acordo com o que foi ensinado na sala de aula. Afinal de contas, cada um sabe qual é sua realidade.

Veja também:
Exercícios de História Antiga: Roma (Ensino Médio)Exercícios de História Moderna: Grandes Navegações (Ensino Médio)Exercícios de História da América Portuguesa e Espanhola (Ensino Médio)Questões DE ENEM e Vestibular 1. (FUVEST-SP) “Usamos a riqueza mais como uma oportunidade para agir que como um motivo de vanglória; entre nós não há vergonha na pobreza, mas a maior vergonha é não fazer o possível para evitá-la... olhamos o homem alheio às atividades públicas não como alguém que cuida apenas de seu…

Plano de Curso de História - 1º Ano do Ensino Médio - 2012

PLANO DE CURSO
O atual plano de Curso serve de exemplo para os professores que desejam um modelo. Este plano, está dividido em 3 unidades, mas pode ser adaptado para 4 unidades. Os motivos desta divisão em três unidades está expresso na Regimento Escolar da Instituição de Ensino a qual pertenço.


Série: primeiro ano do ensino médio Disciplina: História Carga Horária: 80 horas Professor: Zevaldo Luiz Rodrigues de Sousa Ano de competência: 2012
I.Apresentação: Quando entendemos que a História é feita de versões e que um mesmo acontecimento pode ser contado de mil formas diferentes, entendemos que é preciso beber de várias fontes para fazer a diferença em qualquer área. O bom historiador deve agir como um detetive, juntando as mais diversas fontes para compor um fato histórico. Será preciso, portanto, fazer um esforço para que os alunos entendam que eles precisam ter consciência de que a História, matéria básica para o conhecimento humano, não é estática nem feita de verdades absolutas é essencia…

Exercícios de História Medieval: Do Feudalismo à Crise do Século XIV (Ensino Médio)

Sabendo que grande parte dos professores e estudantes buscam pelas soluções dos seus problemas na Internet, resolvi postar neste espaço alguns exercícios retirados de provas de vestibulares. Vale ressaltar que será muito mais importante, o professor modificar os exercícios de acordo com o que foi ensinado na sala de aula. Afinal de contas, cabe ao professor ter o conhecimento da realidade da turma que leciona.
Veja também: Exercícios de História Antiga: Grécia (Ensino Médio)Exercícios de História Antiga: Roma (Ensino Médio)Exercícios de História Moderna: Grandes Navegações (Ensino Médio)
Questões de ENEM e Vestibular
Questão 01. (Fatec-SP) Uma das características a ser reconhecida no feudalismo europeu é:
a) A economia do feudo era dinâmica, estando voltada para o comércio dos feudos vizinhos. b) A sociedade feudal era semelhante ao sistema de castas. c) As relações de produção eram escravocratas. d) Os ideais de honra e fidelidade vieram das instituições dos hunos. e) Os servos estavam preso…