Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2011

O Autor e a Palavra - Uma homenagem a Osvaldo Sá

Este texto foi publicado no dia 04/08/2008 e hoje resolvi trazer ele a tona. Espero que gostem.
Hoje a noite, ocorreu o tão esperado momento em que a população maragogipana homenageou seu grande e ilustre contemporâneo poeta e escritor - e para mim historiador -, Osvaldo Sá. Cada qual a seu jeito, ou falando, chorando, declamando poesias ou apenas presente naquele momento - ou para não deixar àqueles que não puderam vir de lado -, seja lá o motivo diversificado qualquer, um puro sentimento de presença e/ou de comoção, pois este personagem a qual me refiro, não foi qualquer um na nossa comunidade, na nossa sociedade, cultura e história.
Ele foi e pra sempre será Osvaldo Sá, único, exemplar, digno, correto, estudioso, vitorioso. E se depender de mim será lembrado e relembrado no máximo possível que as gerações me permitirem, nos permitirem, fazer história.
Por que, ninguém sabe o futuro e a mim tende apenas escrever, ler e interpretar. Coisas tão simples que qualquer um pode fazer. Basta q…

DICAS: Como ler e interpretar um texto? - Orientações de Estudo

Existem muitas opções para aqueles que desejam realmente lidar com a informação, mas a sua maioria é técnica. Poucas são às opções didáticas, em simples resumos para que qualquer pessoa adquira pelo menos a mínima possibilidade para a interpretação do mundo que o rodeia.
Esta realidade aplicada à nossa sociedade gera em muitos casos, pouca reflexão o que ocasiona uma certa manipulação da pessoa que teve a intenção de escrever sobre aquela que está lendo. O estudo de história nos remete à uma solução para resolução dese problema e a Coleção Estudos de História, da FTD trouxe-nos um guia muito importante que orienta, sobretudo, os alunos na hora da interpretação. 
Confira agora as Orientações de Estudo para que você saiba Como ler e interpretar um texto? Compre o livro clicando AQUI.
A leitura está presente em nossa vida de diferentes modos, porque lemos com diversos propósitos: lazer, informação, pesquisa, estudo etc. A nossa maneira de ler, contudo, dependerá do nosso objetivo. 
Aqui vão a…

Colóquio de Comunistas Brasileiros será realizado na USP

O Colóquio "Comunistas Brasileiros: cultura política e produção cultural" será realizado na USP, entre os dias 03 e 05 de outubro.
Maiores informações, acesso o site (http://comunistascultura.wordpress.com/) ou pelo e-mail:  coloquiocomunistas@gmail.com  As inscrições para o Colóquio poderão ser feitas, gratuitamente, na Secretaria do Departamento de História da Universidade de São Paulo (Av. Prof. Lineu Prestes 338, Cidade Universitária, São Paulo (SP), entre 14hs e 19hs. O evento disponibiliza 180 vagas, com direito a certificado de participação. Para ter direito ao certificado, será necessário assistir ao menos 4 das 6 mesas previstas no programa.




Dia Internacional da Infâmia: 11 de setembro, Pinochet assume comando do chile com apoio dos EUA

O Dia Internacional da Infâmia, é chamado de 11 de setembro. Quando se fala nele as pessoas lembram da queda do World Trade Center, complexo localizado na ilha de Manhattan de Nova Iorque, Estados Unidos, onde se situavam as Torres Gêmeas, duas grandes edificações projetadas pelo arquiteto norte-americano de origem japonesa Minoru Yamasaki.
Estas foram destruídas por dois aviões comerciais seqüestrados, nos atentados do dia 11 de setembro de 2001, quando faleceram 2.749 pessoas, sem contar as que feneceram em outros locais ou nos aviões envolvidos. Este foi o pior dos desastres ocorridos em Nova Iorque até a presente data. O World Trade Center foi um dos grandes símbolos do capitalismo financeiro internacional: 430 companhias de 28 países tinham escritórios arrendados nos arranha-céus, a maioria pertencente ao âmbito financeiro. Entre elas, para citar apenas algumas, o Banco da América, Morgan Stanley, American Express ou o Grupo de Crédito Suíço. (Fonte: History Channel)
Contudo, nós s…

Revista Veja em parceria com Bradesco lança acervo digital em homenagem aos seus 40 anos

A revista Veja lançou um site especial que lhe dá acesso às revistas editadas pela Abril nesses últimos 40 anos. Da capa à contra-capa, incluindo todas as páginas. É um trabalho impressionante e creio que servirá como fonte de consulta e garimpagem de dados para efetivação de eventuais trabalhos de pesquisa. A revista VEJA abre todo o seu acervo de 40 anos de existência na internet.

Todas as edições poderão ser consultadas na íntegra em formato digital no endereço: http://veja.abril.com.br/acervodigital/
A revista liberou o acervo em comemoração ao seu aniversário de 40 anos. A primeira edição de VEJA foi publicada em 11 de setembro de 1968.
O sistema de navegação é similar ao da revista em papel: o usuário vai folheando as páginas digitais com os cliques do mouse.
O acervo apresenta as edições em ordem cronológica, além de contar com um sistema de buscas, que permite cruzar informações e realizar filtros por período e editorias.
Também é possível acessar um conjunto de pesquisas prev…

Instalado no Recife o Comitê pela Memória, Verdade e Justiça

Enviado por email por: Jorge Brito
Instalado, em Recife, o “Comitê da Memória, Verdade e Justiça,” com a presença de vultos históricos da luta contra a Ditadura Militar.
“ONDE SE ESCONDEM OS CRIMINOSOS DO REGIME MILITAR”?

Com a presença e representação de vultos históricos da resistência à Ditadura de 64, como Gregório Bezerra (por seu filho Jurandir Bezerra), Francisco Julião (por sua filha Anexina Julião), Elizabeth Teixeira, Abelardo da Hora, ex-deputados Agassiz Almeida e Clodomir Morais, instalou-se, há poucos dias, na av. Visconde de Suassuna 99, Boa Vista, Recife, com mobilização de várias entidades defensoras dos direitos humanos e o apoio do Ministério Público de Pernambuco, o Comitê pela Memória, Verdade e Justiça, visando articular respaldo dos amplos segmentos da sociedade para a aprovação do projeto de lei em tramitação no Congresso Nacional, cujo objetivo é a abertura dos arquivos da repressão militar de 1964/1985.
Obedecendo a uma ampla programação, coordenada pelo veread…

Laboratório de Ensino de História do Recôncavo da Bahia integra ensino, pesquisa e extensão

O Laboratório de Ensino de História do Recôncavo da Bahia é um dos maiores orgulhos dos pesquisadores da UFRB (Universidade Federal do Recôncavo da Bahia) e uma das formas de concretização da integração entre ensino, pesquisa e extensão. Nós, estudantes de História da UFRB, entendemos que um dos princípios da graduação em Licenciatura em História da UFRB é essa integração que o curso procura atingir os objetivos gerais a que se propõe uma universidade pública e gratuita no Brasil. 
Segundo o próprio site "Constitui-se num espaço de integração entre as atividades docentes e discentes na graduação, auxiliando a produção e difusão de pesquisas e atividades extensionistas. Além disso, articula-se, num diálogo profícuo, com os atores da rede escolar do Recôncavo e com a comunidade em geral, visando a melhoria do ensino básico na região.
Proposto e mantido pelo colegiado do curso de Licenciatura em História, está vinculado ao Centro de Artes, Humanidades e Letras (CAHL) da UFRB. Localiza…

O Estado: Alienação e Natureza, por Mikhail Bakunin

“Assim, sob qualquer ângulo que se esteja situado para considerar esta questão, chega-se ao mesmo resultado execrável: o governo da imensa maioria das massas populares se faz por uma minoria privilegiada. Esta minoria, porém, dizem os marxistas, compor-se-á de operários. Sim, com certeza, de antigos operários, mas que, tão logo se tornem governantes ou representantes do povo, cessarão de ser operários e por-se-ão a observar o mundo proletário de cima do Estado; não mais representarão o povo, mas a si mesmos e suas pretensões de governá-lo.
Quem duvida disso não conhece a Natureza Humana”
Mikhail Bakunin ( 1814 – 1876)
O Estado, como já disse, é, pelo seu próprio princípio: um imenso cemitério onde vêm sacrificar-se, morrer enterrar-se todas as manifestações da vida individual e local, todos os interesses parciais de cujo conjunto deriva a sociedade. É o altar onde a liberdade real e o bem-estar dos povos são imolados à grandeza política e quanto mais esta imolação é completa, tanto mais …

EDUFBA lança seis novos livros no ENECULT 2011

Laróyè, Exu: imagens e mitos do orixá mensageiro na fotografia de Mario Cravo Neto, de Karliane Macedo Nunes
Karliane Nunes apresenta as diferentes abordagens da fotografia em relação aos objetos fotografados. A partir do livro Laróyè (2000), do fotógrafo baiano Mario Cravo Neto, que reúne uma série de fotografias coloridas com o objetivo de homenagear Exu e seus mitos, a autora desenvolveu, sob uma perspectiva multidisciplinar e semiótica, com a teoria geral dos signos de Peirce, a análise de 15 imagens, considerando os elementos icônicos e indiciais.
Informações adicionais: ISBN: 978-85-232-0801-1 Ano: 2011 Formato: 19,2 x 23,4 cm Número de páginas: 214 Preço: R$ 30,00

Programa "Aprovado" discute a história do mundo em 50 anos

Nos últimos 50 anos, o mundo mudou radicalmente. Jamais, na história da humanidade, a sociedade teve uma evolução tão grande num período de tempo tão curto. Mas esse desenvolvimento desenfreado também provoca consequências. Toda essa discussão estará no Aprovado deste sábado, 3 de setembro, às 8h, pela Rede Bahia de Televisão.
Partindo do documentário Utopia e Barbárie (2010), do cineasta Silvio Tendler, o apresentador Jackson Costa incita a discussão sobre a humanidade pós-2ª Guerra Mundial. O próprio diretor traz sua opinião em depoimento. “O fato de vocês assistirem a certas barbáries e se sentirem impotentes para reagir diante delas é um gesto de desespero”, comenta Tendler, que acredita que as pessoas não devem perder a vontade de mudar o mundo.
No estúdio, Jackson recebe o professor e historiador Muniz Ferreira, que fala sobre o assunto. “Se há uma situação de distopia que se aproxima da barbárie é essa que se instaura após os atentados de 11 de setembro”, opina. Para o professor,…

O fumo no recôncavo baiano e a pobreza

Victor Rocha é médico do Posto de Saude Familia de São Roque - Maragogipe BA
“Nas fábricas de charutos não havia trabalho (para homem). Ali quase só mulheres pálidas e macilentas [...] fabricavam charutos caros para fins de banquetes ministeriais [...] .Mas eis que elas saem e são tristes e cansadas. Elas vêm tontas daquele cheiro de fumo que já impregnou nelas, que está nas suas mãos, nos seus vestidos, nos seus corpos, nos seus sexos [...] passam silenciosas como se estivessem bêbadas [...] entram pelas ruas estreitas que já escurecem e rumam para os becos sem iluminação no fundo da cidade.
São [...] fábricas brancas que tomam quarteirões inteiros , onde operárias sofriam no trabalho minucioso e dedicado da produção dos charutos, enquanto, no hotel, por outro lado, os filhos dos donos das fábricas, que eram alemães, divertiam-se.”
Jubiabá – Jorge Amado
Em meados do século XIX, a guerra civil nos EUA e em Cuba geram oportunidades de concorrência internacional no mercado do…