Pular para o conteúdo principal

SIFUPREMA lança manifesto contra o assédio moral e perseguições na Prefeitura de Maragogipe

Por Zevaldo Sousa

Segundo sindicalistas de todo o país, a Greve Geral do dia 28 de abril continuou no dia 01 de maio e neste Dia dos Trabalhadores, o SIFUPREMA - Sindicato dos Funcionários da Prefeitura de Maragogipe - lançou um manifesto contra o assédio moral, as perseguições, as discriminações e os preconceitos que estão acontecendo no serviço público em Maragogipe.

Foto: Juraci Rebouças

É lastimável que tal situação continue acontecendo em Maragogipe. O SIFUPREMA vem denunciando este tipo de situação em diversas manifestações e inclusive, há diversas ações na justiça, na tentativa de resolução destes problemas que marcam a História Recente do Servidor Público maragogipano.

O manifesto não somente crítica o ato como traz consigo uma série de possíveis soluções que necessita de abertura da atual gestão para negociação. E mais, é preciso também que vereadores [sejam eles de oposição e situação] esteja atentos a tal documento, e dispostos a debater cada item. Este fato não pode se passar incólume pela Câmara de Vereadores de Maragogipe.

Leia o manifesto na íntegra:

MANIFESTO CONTRA O ASSÉDIO MORAL, PERSEGUIÇÕES, DISCRIMINAÇÕES E PRECONCEITOS NO SERVIÇO PÚBLICO EM MARAGOGIPE.

16 DE MARÇO DE 2017 - ASSEMBLEIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE MARAGOGIPE.


Nós, abaixo-assinados, Servidores Públicos Municipais de Maragogipe, Familiares e Cidadãos maragogipanos, vimos, por meio desta, manifestar a indignação e repudio a toda e qualquer forma de assédio, discriminação, perseguição, preconceito e quaisquer situações de constrangimento e ataque à liberdade de pensamento e de produção intelectual no serviço público deste município.
A violência praticada contra servidores públicos é hoje uma realidade nas relações de trabalho, atinge homens e mulheres, tanto na iniciativa privada como no serviço público, de todos os níveis e categorias. Não bastassem os problemas relacionados às mudanças no mercado de trabalho, reflexo da globalização – que levou à precarização das relações trabalhistas e redução de direitos –, das inovações tecnológicas e das crises econômicas e sociais, os trabalhadores passaram a conviver com mais um inimigo no dia a dia de suas atividades profissionais: o assédio moral no ambiente do trabalho.
A violência psicológica e a humilhação são práticas que passaram a ser adotadas de formas variadas no cotidiano. Uma tortura marcada pelo abuso de poder e a manipulação perversa. Seu poder de destruição, afirmam estudiosos do tema, vai além da sua prática, levando à degradação das condições de trabalho, com efeitos nocivos à dignidade, às relações afetivas e sociais e à saúde física e mental do trabalhador(a), além de prejuízos para empresas e órgãos públicos.
Segundo estudiosos do assunto, o setor público é um dos ambientes de trabalho onde o assédio moral mais prolifera. “A forma de gestão e relações humanas favorecem a prática nociva e as repartições tendem a ser locais marcados por situações agressivas, muitas vezes por falta de preparo de chefes imediatos ou por perseguição política. A humilhação repetitiva e prolongada tornou-se prática quase que considerada natural no interior das repartições públicas, onde predomina o menosprezo e indiferença pelo sofrimento dos servidores”.
O trabalho que queremos:O trabalho que queremos assegura dentre o conjunto de direitos, a atenção à saúde, integridade física e mental do/a trabalhador/a, através das políticas públicas no campo da saúde e segurança no trabalho;
O trabalho que queremos implementa Política Permanente de Prevenção e Combate ao Assédio Moral na Administração Pública Municipal na Prefeitura Municipal de Maragogipe, com foco na prevenção e combate ao assédio moral no trabalho, através do funcionamento de comissões de prevenção e combate ao assédio moral;
O trabalho que queremos compreende a construção de ambientes e processos de trabalho saudáveis e com a criação e funcionamento das Comissões de Saúde do Trabalhador nos serviços públicos, destacando a exigência de que o serviço público passe a emitir a Comunicação de Acidente de Trabalho – CAT;
O trabalho no Serviço Público Municipal que queremos assegura aos/as Trabalhadores/as a dignidade, respeito, equidade de gênero, valorização salarial, ascensão profissional, dimensão social e democracia nas relações de trabalho;
O trabalho que queremos é democrático e funciona a Mesa de Negociação Permanente, com participação efetiva de representantes do Governo Municipal e entidades representativas dos servidores públicos municipais, sendo um espaço de discussão da implantação de políticas governamentais efetivas de valorização do servidor e garantia da dignidade e respeito nas relações de trabalho, estando dentro dessa temática o desenvolvimento de um projeto de combate ao assédio moral na administração pública municipal;
O trabalho que queremos promove, protege e recupera a saúde dos/as trabalhadores/as por meio de ações de promoção, vigilância e assistência, para além dos fatores de risco ocupacionais tradicionais. Fonte: SIFUPREMA

A reprodução é autorizada desde que contenha a assinatura "Blog do Zevaldo Sousa - BR4S1L" 

Comentários

Top 5 da Semana

Plano de Curso de História - 1º Ano do Ensino Médio - 2012

PLANO DE CURSO
O atual plano de Curso serve de exemplo para os professores que desejam um modelo. Este plano, está dividido em 3 unidades, mas pode ser adaptado para 4 unidades. Os motivos desta divisão em três unidades está expresso na Regimento Escolar da Instituição de Ensino a qual pertenço.


Série: primeiro ano do ensino médio Disciplina: História Carga Horária: 80 horas Professor: Zevaldo Luiz Rodrigues de Sousa Ano de competência: 2012
I.Apresentação: Quando entendemos que a História é feita de versões e que um mesmo acontecimento pode ser contado de mil formas diferentes, entendemos que é preciso beber de várias fontes para fazer a diferença em qualquer área. O bom historiador deve agir como um detetive, juntando as mais diversas fontes para compor um fato histórico. Será preciso, portanto, fazer um esforço para que os alunos entendam que eles precisam ter consciência de que a História, matéria básica para o conhecimento humano, não é estática nem feita de verdades absolutas é essencia…

O Terreiro Ilê Axé Alabaxé,– “"A Casa que Põe e Dispõe de Tudo"

É com muito pesar que noticiamos o falecimento do Babalorixá Edinho de Oxóssi, será muito justo neste momento, republicarmos a história do Terreiro lIê Axé Alabaxé,– “"A Casa que Põe e Dispõe de Tudo", um local com que o nosso babalorixá tem suas intimidades reveladas. Sabendo que seria do agrado de muitos maragogipanos que desejam conhecer a nossa história, resolvi publicar esse texto e uma entrevista concedida pelo Babalorixá Edinho de Oxóssi encontrada no site (http://alabaxe.xpg.uol.com.br/)
Oxóssi

A cada ano, após a colheita, o rei de Ijexá saudava a abundancia de alimentos com uma festa, oferecendo à população inhame, milho e côco. O rei comemorava com sua família e seus súditos só as feiticeiras não eram convidadas. Furiosas com a desconsideração enviaram à festa um pássaro gigante que pousou no teto do palácio, encobrindo-o e impedindo que a cerimônia fosse realizada.

O rei mandou chamar os melhores caçadores da cidade. O primeiro tinha vinte flechas. Ele lançou todas…

Plano de Curso de História - 2º ano do Ensino Médio - 2012

Plano de Curso
O atual plano de Curso serve de exemplo para os professores que desejam um modelo. Este plano, está dividido em 3 unidades, mas pode ser adaptado para 4 unidades. Os motivos desta divisão em três unidades está expresso na Regimento Escolar da Instituição de Ensino a qual pertenço.
Série: segundo ano do ensino médio Disciplina: História Carga Horária: 80 horas Professor: Zevaldo Luiz Rodrigues de Sousa Ano de competência: 2012
I.Apresentação: O conhecimento histórico é contínuo, e é através dele que podemos rever nossos conceitos e construir novas visões de mundo. O segundo ano do ensino médio serve para que o aluno comece a expor suas reflexões obtidas no primeiro ano de estudo de forma clara e construtiva, observando as ferramentas disponíveis para que sua interpretação esteja fundamentada. Neste momento, além de revisarmos os conteúdos da história européia, africana e americana, adentraremos com muito mais afinidade no mundo que estava se formando após o descobrimento da Améri…

Exercícios de História Antiga: Roma (Ensino Médio)

Sabendo que grande parte dos professores e estudantes buscam pelas soluções dos seus problemas na Internet, resolvi postar neste espaço alguns exercícios retirados de provas de vestibulares. Vale ressaltar que será muito mais importante, o professor modificar os exercícios de acordo com o que foi ensinado na sala de aula. Afinal de contas, cabe ao professor ter o conhecimento da realidade da turma que leciona.
Veja também:
Exercícios de História Antiga: Grécia (Ensino Médio)Exercícios de História Moderna: Grandes Navegações (Ensino Médio)Exercícios de História da América Portuguesa e Espanhola (Ensino Médio)Questões DE ENEM e Vestibular 01. (UFAM – 2009) Tal como a história dos gregos, também a dos romanos começou pelo desenvolvimento de instituições políticas assentadas na cidade e elaboradas em benefício de uma comunidade de homens livres – os cidadãos – proprietários de terras e que reivindicavam a descendência direta dos fundadores de sua pátria. Em ambos os casos, estes cidadãos …

Plano de Curso de História - 3º ano do Ensino Médio - 2012

Plano de Curso
O atual plano de Curso serve de exemplo para os professores que desejam um modelo. Este plano, está dividido em 3 unidades, mas pode ser adaptado para 4 unidades. Os motivos desta divisão em três unidades está expresso na Regimento Escolar da Instituição de Ensino a qual pertenço.

Série: terceiro ano do ensino médio Disciplina: História Carga Horária: 80 horas Professor: Zevaldo Luiz Rodrigues de Sousa Ano de competência: 2012
I.Apresentação: Ter uma visão holística da sociedade é se habilitar para o conhecimento, e é por esse motivo, que o estudo de história no terceiro ano do ensino médio, não deve se limitar apenas aos conteúdos de história contemporânea. Este programa visa revisar os conteúdos da história antiga, medieval e moderna, além de trazer discussões historiográficas, introduzindo os alunos nos estudos históricos de maneira atraente e instigante.
II.Objetivos:
Desenvolvimento de competências ligadas à leitura, análise, contextualização e interpretação das divers…